Cientista do Fermilab dos EUA falará hoje na UNA

        

(1 a d.) Carlos Romero, Jorge Molina, Juan Estrada Vigil, Claudio Chávez e Esteban Cristaldo, no Laboratório de Mecânica e Energia da Faculdade de Engenharia. (Cortesia de FIUNA / Fabiana Fleitas).

        

1 min. Leitura

O Dr. Juan Cruz Estrada Vigil físico experimental e pesquisador do Laboratório Nacional Acelerador Fermi (Fermilab), falará esta tarde no campus da Universidade Nacional de Assunção (UNA), em San Lorenzo. O cientista, atual chefe da Divisão de Matéria Negra do Departamento de Astrofísica, oferecerá uma conferência de divulgação intitulada "O Enigma da Matéria Negra" a partir das 17h30min (19459013).

A palestra, que deveria ter lugar no auditório Berganza, finalmente mudou-se para o Centro de Convenções da Universidade (cúpula) . Isso se deve à enorme demanda de interessados ​​para participar do evento. As pessoas que desejam participar esta tarde podem se registrar neste link. O evento é aberto e gratuito e conta com o apoio do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CONACYT)

O professor Estrada, graduado do Instituto Balseiro da Argentina e da Universidade de Rochester (NY) dos Estados Unidos, disse Southern Science que seu discurso hoje tentará condensar as informações atuais em torno de para a área, tanto em pesquisa quanto em desenvolvimento tecnológico. E isso se concentrará, principalmente, na contribuição que a FIUNA do Paraguai está fazendo com o trabalho de Jorge Molina e sua equipe

"Hoje vamos falar sobre o que sabemos atualmente sobre a matéria escura e por que é difícil ter evidências de sua existência. A palestra, focada em todo tipo de público, também tratará do trabalho que está sendo feito no Paraguai, com o professor Molina, da Universidade Nacional de Assunção. Vamos comentar sobre a pesquisa que fazemos e como tentamos entender esta área da astrofísica ", disse Estrada.

Por outro lado, ele disse que os pesquisadores devem fazer divulgação científica para que as pessoas entendam e valorizem o trabalho de cientistas em diversas áreas. Ele enfatizou que a interdisciplinaridade é muito valiosa para suas linhas de pesquisa, porque a contribuição de físicos, engenheiros e técnicos especializados é necessária. Por fim, ressaltou que os países com menos desenvolvimento podem construir grandes projetos de pesquisa e, especialmente, destacaram a colaboração da FIUNA como exemplo.

Despertar o interesse e procurar por estudantes

Por sua parte, o professor Jorge Molina, pesquisador do PRONII-Conacyt e organizador da conferência, disse que a apresentação desta tarde tem como objetivo gerar interesse entre alunos e professores, para que alguns dos trabalhos de grande escopo científico que são feitos do Paraguai e especialmente do Laboratório de Mecânica e Energia (LME-FIUNA).

Ele destacou que há boas expectativas entre os universitários que participarão da conferência dada pelo professor Estrada, uma vez que o trabalho realizado na casa de estudos muitas vezes não é conhecido.

Ele disse que mais tarde algumas chamadas serão feitas para que os alunos participem dos projetos que ele lidera. Ele comentou que a ligação é feita geralmente duas vezes por ano e que atualmente eles precisam que os alunos cumpram todos os programas científicos que estão sendo desenvolvidos ou que serão implementados em breve. Ele acrescentou que eles poderiam fazer sua tese no laboratório.

O que você achou deste artigo?

 1 estrela "title =" 1 estrela "onmouseover =" current_rating (6170, 1, '1 estrela'); "onmouseout =" ratings_off (5, 0, 0); "onclick =" rate_post () ; "onkeypress =" rate_post (); "style =" cursor: ponteiro; border: 0px; "/> <img id=

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *