Pesquisador paraguaio usa inteligência artificial para estudar drogas

        

Ing. Diego Galeano, do Royal Holloway da Universidade de Londres, foi encarregado da última conferência Open Science de 2018. (Desirée Esquivel)

        

4 min. Leitura

Com o firme compromisso de promover o conhecimento das diferentes áreas da ciência, através da divulgação e do jornalismo científico, na quinta-feira, 27 de dezembro, Open Science XI foi desenvolvido em "Como Inteligência Artificial Toma Fatores desafios da biologia. " A conferência ficou a cargo do pesquisador Diego Galeano . Desta forma, Southern Science fechou as atividades do ano.

Galeano, engenheiro eletrônico e doutor candidato pelo Royal Holloway da Universidade de Londres compartilhou suas experiências e trabalhos científicos diante de um auditório lotado da Sociedade Científica do Paraguai (SCP). No início, ele percorreu a história da inteligência artificial, lembrando o filósofo e cientista da computação Alan Turing e a crise do setor na segunda metade do século 20, quando foram cortados fundos para pesquisa. Ele então destacou as características da inteligência artificial e como o modo de fazer ciência está mudando.

O pesquisador destacou que ele está atualmente no departamento de ciência da computação em Royal Holloway e de lá ele trabalha para prever os efeitos colaterais de certas drogas, usando inteligência artificial. Para fazer isso, ele pesquisa em conjunto com cientistas da computação e biólogos.

O engenheiro está atualmente no último ano de seu doutorado e considera que ele pretende voltar ao Paraguai, embora não tenha mais investimentos em altos recursos humanos em sua área. Embora ele também tenha interesse em continuar seus estudos de pós-doutorado nos Estados Unidos. Ele ressaltou, no entanto, que há avanços em alguns projetos com instituições científicas locais, como o Centro para o Desenvolvimento da Pesquisa Científica (CEDIC).

Ele destacou as linhas de pesquisa sobre o aprendizado de máquina [aprendizado de máquina]que é uma disciplina científica no campo da inteligência artificial que cria sistemas que aprendem automaticamente.

"Aprender neste contexto significa: identificar padrões complexos em milhões de dados. A máquina realmente aprende um algoritmo que revisa os dados e é capaz de prever comportamentos futuros. Isso também implica que esses sistemas são melhorados de forma autônoma ao longo do tempo, sem intervenção humana ", disse ele.

A geneticista Paola Stankiewicz (2ª da esquerda para a direita) conquistou o primeiro lugar entre os artigos premiados do Seminário de Comunicação Científica Digital. (Desirée Esquivel)

Antes da conferência do pesquisador, os certificados foram entregues aos participantes do II Seminário de Comunicação Científica Digital.

Esta atividade foi organizada pela Science of the South e teve o apoio da Universidad Iberoamericana (Unibe), da Sociedade Científica do Paraguai (SCP), do Instituto de Patologia e Pesquisa (IPI), Canto da Ciência Benjamin Franklin (BFSC), o Conacyt e a Embaixada dos EUA. Além disso, as obras mais destacadas do Seminário foram premiadas: Paola Stankiewicz obteve o primeiro lugar; Emilia Machado ficou em segundo lugar e Gabriela Núñez em terceiro lugar .

Os vencedores receberam presentes da editora Servilibro. Todos os materiais premiados serão publicados nos próximos dias em nosso portal digital e redes sociais.

Cooperação e gratidão

O diretor de Science of the South Eduardo Quintana assegurou que este foi um ano desafiador para este meio especializado em conhecimento científico, devido ao elevado número de artigos publicados, assim como o atividades organizadas pela equipe. Ele destacou a cooperação existente entre cientistas, filósofos e jornalistas para que a empresa avance.

" Southern Science foi ampliado. Somos um meio de ciência e tecnologia, mas também um centro de divulgação. Estamos orgulhosos do trabalho e do impacto que o nosso ambiente tem, mas temos muito pela frente. A estrada é um desafio. "

Ele mencionou todos os eventos do portal, que foram executados neste ano: o Primeiro Fórum de Ciência e Política; o espaço semanal Science and Radio, transmitido pela Rádio 1000; o primeiro livro impresso Science from Paraguay ; o ciclo Open Science; o II Seminário de Comunicação Científica Digital; a Semana do Espaço Mundial; o primeiro Ciclo de Divulgação Astronômica; as transmissões on-line de atividades, palestras, conferências e festivais de ciência e divulgação onde este meio apoiou e / ou participou.

Ele apontou que Science of the South não poderia fazer tudo sem a ajuda de seus membros e instituições de P & D. Muito apreciou as empresas e organizações que apostaram no portal este ano. Agradeceu à SCP, Unibe, BFSC, IPI, Conacyt, Embaixada dos Estados Unidos no Paraguai, Universidade Nacional de Assunção e Rádio 1000.

Também incluiu a organização Guyra Paraguay, editora Servilibro, Universidade Autônoma de Encarnación, Agência Espacial do Paraguai, SembraMedia, Biblioteca Roosevelt, Universidade Nacional do Leste, Centro Cultural Americano Paraguaio, Grupo de Astronomia do Paraguai e Universidade de Bath.

O último evento do ano da Science of the South convocou um grande número de participantes, nas dependências da Sociedade Científica do Paraguai. (Desirée Esquivel)

Este ano, Quintana recebeu uma bolsa de estudos da Embaixada dos EUA. no Workshop Jack F. Ealy sobre Jornalismo Científico, nos Estados Unidos e também na Conferência Falling Walls, em Berlim, Alemanha. Além disso, Desirée Esquivel, co-fundadora e cronista deste portal digital, viajou para Lima (Peru), graças à Embaixada dos Estados Unidos, para apresentar o projeto do meio durante o O Outro: II Encontro Latino Americano de Jornalismo Empreendedor e Inovador

O evento foi convocado pela Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Ibero-americano (FNPI), o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e a SembraMedia, com o apoio da Universidade Peruana de Ciências Aplicadas (UPC), John S Bolsas Knight Journalism Fellowships (JSK) e o Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ).

Em novembro passado, a bióloga e divulgadora, Fátima Ortiz, foi uma das vencedoras da segunda edição do Prêmio Pablo Medina de Jornalismo Ambiental, ficando em segundo lugar na categoria Melhor Fotografia. Isso se soma a outras conquistas e reconhecimentos, como o concedido em 2017 a Quintana e Ariel Insaurralde, pelo Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CONACYT).

Das Luzes

Por seu lado, o vice-diretor e editor de ciências naturais, Ariel Insaurralde Alviso elogiou os membros da Science of the South por apostar na ciência em um país onde ainda custa fazer pesquisa e mencionou que o que está acontecendo no Paraguai, especialmente com o nosso portal, faz parte da história do pensamento esclarecido.

"Transmitir o conhecimento, tornando-o mais acessível e combatendo preconceitos e dogmas, foram as bandeiras do Iluminismo. Alguns séculos depois, continuamos a fazer esse trabalho, até mesmo do Paraguai, com ciência e divulgação", disse ele.

Agradeceu Ing. Galeano pela última apresentação do ano e garantiu que a interação com os pesquisadores visa ajudar a conhecer a ciência de vanguarda que está sendo construída no mundo de hoje.

(De .izq. Para der.) Mirta Fretes, Ariel Insaurralde, Diego Galeano, Antonieta Rojas de Árias, Eduardo Quintana, Desirée Esquivel e Daniel Duarte. (Lili Mendoza)

O que você achou deste artigo?

 1 estrela "title =" 1 estrela "onmouseover =" current_rating (8821, 1, '1 estrela'); "onmouseout =" ratings_off (5, 0, 0); "onclick =" rate_post () ; "onkeypress =" rate_post (); "style =" cursor: ponteiro; border: 0px; "/> <img id=

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *